Lata Velha MSX – Parte II – Troubleshoot

Após 2 semanas de intenso trabalho na restauração do meu MSX Expert posso dizer que nem tudo são flores, apesar do processo ser aparentemente algo tranquilo. Talvez seja tranquilo mesmo, porém para quem não é profissional na arte de restauração e pintura, com certeza é um trabalho penoso.

Recapitulando, na primeira parte dessa série fiz um trabalho de restauração da lataria do meu MSX Expert 1.1, onde basicamente utilizei uma lata de tinta Spray Suvinil Multi-uso Aluminio. Mas como sou um novato que não domina a arte da pintura e restauração, com certeza problemas aconteceram, principalmente na questão que é a mais critica no processo de pintura………o excesso de tinta nas bordas do material trabalhado, conforme pode ser visto na imagem abaixo.

Excesso de tinta após secagem

Resumindo, em 2 partes da borda da lataria aconteceu um excesso de tinta que é complicado de remover durante o processo de pintura com o Spray uma vez que a tinta seca rapidamente impossibilitando uma ação corretiva, que sinceramente nem sei qual seria.

Porém a minha decisão foi deixar secar a tinta, mesmo com excesso, e depois de seco remover o excesso com uma lixa D’água Norton 204. Pode parecer ser traumático passar uma lixa em uma parte da lataria já na finalização do processo mas posso dizer que após pintar a parte que foi lixada e dando mais uma demão na peça inteira, não sobrou nenhum resquício do problema, nem marcas nem nada em volta, ainda mais depois de utilizar um verniz da ColorGin Metallik incolor brilhante……

Dupla dinâmica (Suvinil & ColorGin)

……..que deu um visual brilhante na lataria, resultado que pode ser visto na imagem abaixo.

Lataria do Expert após aplicação do verniz

Partes plásticas – Frente do Expert.

O mais complicado, na verdade, foi a peça frontal do Expert pois é uma peça relativamente pequena onde qualquer pequena falha pode ser bem perceptível ao final do processo.

Pesquisando na internet cheguei a conclusão de que poderia seguir algumas alternativas para pintar essas partes plásticas.

  1. Aplicar um material chamado Primer, que é o responsável, dentre outras coisas, pela aderência a tinta aplicada posteriormente;
  2. Utilizar a lixa D’água Norton 204 para fazer com que a superfície ficasse levemente áspera, causando o efeito de aderência desejado;

Bom, utilizei o método 2, por ser o mais barato, porém me arrependi por um motivo que vou explicar mais a frente. Segue abaixo a imagem da parte frontal, já devidamente lixada e com fitas adesivas protegendo as partes pretas que permanecerão com os silks originais…….

Parte frontal do Expert após uso da Lixa D'água Norton 204

……e também após a aplicação da tinta Suvinil Multi-uso Aluminio.

Frente do Expert após pintura.

 Após secagem e aplicação do verniz ColorGin Metallik incolor brilhante, obtive o resultado abaixo.

Frente do Expert após verniz e remoção da fita de proteção.

O resultado foi bastante satisfatório, entretanto, conforme citei anteriormente, o uso do verniz na parte frontal me deixou arrependido pelo fato do mesmo ser muito fino e pouco aderente de imediato e principalmente pela parte superior da tampa frontal ser muito estreita e com a aplicação do verniz, mesmo que bem pouco, já é o suficiente para escorrer e causar marcas na tinta, mesmo que já seca, o que me forçou a refazer o trabalho na parte frontal uma vez.

Mesmo após conseguir dominar o uso do verniz nas partes estreitas, achei que se tivesse utilizado Primer, o resultado seria melhor, uma vez que o mesmo é mais consistente e não escorre. Tudo bem que o brilho final não seria o mesmo que obtive na lataria mas tudo tem seu preço 🙁

Ainda vou fazer um acabamento nessa parte frontal, afim de melhorar o resultado……maldito perfeccionismo !!!

Bom, vou ficando por aqui na próxima parte pretendo mostrar a limpeza da parte eletrônica interna e o micro montado. No final o trabalho de recuperação do teclado.

[]’s
PopolonY2k

Lata Velha MSX – Parte I

Sou um colecionador de MSX, isso é um fato conhecido para quem já acompanha o blog, fato esse que pode ser comprovado olhando o meu album de fotos nesse link aqui.

Apesar de eu ter alguns computadores MSX e outros não relacionados ao mundo MSX, alguns deles ainda não estão no album de fotos do Picasa e dentre esses está um MSX 1.1 Expert XP-800 da Gradiente, que juntamente com o HotBit HB-8000 da Sharp, foi um dos primeiros sucessos de vendas de PC‘s na história da microinformática brasileira.

Expert XP800 - MSX 1.1

Eu particularmente tinha um HotBit e até preferia o mesmo a um Expert, porém agora como colecionador não posso me dar ao luxo de ter preferências por uma ou outra máquina……cada uma delas tem sua fatia de importância no universo MSX.

HotBit - HB8000 - MSX 1.1

Como já possuo um HotBit 1.2 (o modelo preto), me faltava mesmo um Expert para completar a coleção de pelo menos 1 micro de cada um dos fabricantes brasileiros da época.

Apesar de tudo isso eu ainda não pretendia adquirir um Expert no momento, a não ser que eu ganhasse um…..aí não teria como recusar 🙂

E foi exatamente o que aconteceu, quando o amigo Super Chung (como é conhecido nas comunidades de MSX do Orkut), me repassou um dos 2 micros que ele recebeu de uma doação feita na comunidade Saudosistas da Época do MSX no Orkut.

Os micros estavam em bom estado, porém “surrados” pelo uso e principalmente pela ação do tempo. No caso meu Expert posso citar diversos problemas:

  1. Acabamento comprometido, onde a pintura já estava completamente desgastada, sem o brilho da pintura metálica original e principalmente com riscos na lataria;
  2. Teclado com grande parte das teclas falhando e com o silk desbotando;
  3. Parte plástica do gabinete e teclado com riscos que danificaram o acabamento dos mesmos;
  4. Grande quantidade de poeira nos circuitos;
  5. Placas frouxas devido a mexidas, uma vez que os parafusos utilizados não eram mais os originais o que mostrava que as mesmas foram retiradas em algum momento no passado;

.

Apesar de tudo isso o computador funciona perfeitamente, o que é o principal nesses casos, sendo o motivador para eu iniciar o processo de restauração dessa maquina, porém pensei que o mesmo poderia ser restaurado não para a sua forma original e sim com um pequeno diferencial que o valorizasse, visualmente, frente a outros Expert‘s de sua época.

Para dar um diferencial a esse Expert, pensei em fazer um “arroz com feijão“, porém com um tempero a mais 🙂 , refazendo a pintura da lataria e partes plásticas com uma cor diferente da original, fazendo uma limpeza dos circuitos, recuperando as teclas que estão falhando e removendo o “amarelo” das mesmas, causado pela ação do tempo.

Com isso terei um MSX Expert com um diferencial estético e com o tempo poderei pensar em adicionar mais potência à sua parte eletrônica, entretanto nesse momento nem me passa a cabeça transformá-lo a um MSX 2.0 ou superior, porém pelo menos uma interface IDE esse micro possuirá no futuro.

Situação inicial

Quando peguei o micro a situação estética do mesmo não era das melhores, perto de outros Experts existentes no mercado e que ainda podem ser encontrados tão novos quanto há 20 anos atrás.

A foto abaixo pode mostrar um pouco de como estava a lataria do micro antes da primeira parte da reforma. A boa qualidade da máquina fotográfica e o ambiente pouco iluminado com luz natural, escondem bastante a verdadeira situação da lataria (clique nas fotos para ampliar)…..

Expert Original (frente)

Expert Original (parte superior)

….que pode ser vista um pouco melhor em um ambiente de iluminação natural, como a foto abaixo.

Tampa do Expert (cor original)

.

Inicio do processo

Bom, o primeiro passo de tudo, foi remover a tinta antiga lixando completamente a lataria e removendo toda a tinta anterior para que a mesma não comprometesse a nova pintura.

Para isso utilizei uma lixa Norton K246 Advance para ferro, que é a mais grossa que existia na loja para lixar ferro, uma vez que a tinta original do gabinete não dava sinais de fácil remoção, como foi sentido durante o processo de remoção da mesma, onde foi necessário o uso de muita energia para remover toda a tinta da lataria.

Após 1 hora de intenso trabalho braçal…..

Lataria Expert (após processo de lixamento)

…..o resultado final foi esse aí da imagem acima e abaixo.

Lataria Expert (após processo de lixamento)

.

O  trabalho de pintura/funilaria…..

…é o mais complicado em todo o processo de recuperação desse micro e, como eu havia citado anteriormente, um dos motivadores para a recuperação desse Expert, foi a possibilidade de mudar completamente o visual dessa máquina, transformando-a em um computador único, sem perder as características do modelo.

Para isso decidi mudar completamente a cor da máquina, até mesmo porque a cor original é difícil de obter, após mais de 20 anos de seu lançamento.

Escolhi a cor alumínio, utilizando a tinta Suvinil Spray Multi Uso (Alumínio) e o resultado foi uma cor prateada que lembra bastante a cor de alumínio, conforme pode ser visto na imagem abaixo……

Lataria - Após pintura (Superior lateral direito - frente)

….e também na imagem abaixo.

Lataria - Após pintura (Superior lateral direito - traseira)

Como pode ser visto nas imagens acima, apesar de eu não ser profissional em funilaria/pintura, com um pouco de cautela é possível recuperar um gabinete antigo como o do Expert, sem gastar muito e principalmente sem ter que contratar um profissional para realizar essa tarefa.

Abaixo segue a lista de materiais utilizados e seus respectivos preços aproximados.

  • 1 Lata de tinta Suvinil Multi Uso Aluminio ~ R$16,00;
  • 1 Lixa para ferro, Norton K246 Advance ~ R$2,00;

.

Bom esse é um daqueles posts onde o resultado visual vale mais do que qualquer texto escrito, por isso vou ficando por aqui e já preparando o material da segunda parte dessa série……claro que nem tudo são flores, então aguardem o próximo post.

[]’s
PopolonY2k

Referência na internet

PopolonY2k’s Picasa web album
http://picasaweb.google.com/112074901768594959236/Museum

MSX Expert XP-800 (Wikipedia)
http://pt.wikipedia.org/wiki/MSX#Gradiente_Expert_XP-800

MSX HotBit HB-8000 (Wikipedia)
http://pt.wikipedia.org/wiki/MSX#Sharp_HotBit_HB-8000

Saudosistas da época do MSX (Comunidade Orkut)
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=64116

Análise da Interface IDE – Tecnobytes
http://www.popolony2k.com.br/?p=409

Turbo Pascal Forever – Introdução

Bom, já passamos da metade do ano e fazendo um balanço de todas as ideias que me incentivaram na criação do blog, cheguei a conclusão de que tenho muito “cartucho” ainda para gastar e um desses cartuchos é exatamente a criação de, no mínimo, dois cursos de programação na forma de série de artigos que serão publicados no site.

Então botei a mão na massa e corri atrás do feedback dos participantes do blog e também das opiniões dos participantes das principais listas de discussões relacionadas a MSX e computadores antigos em geral e o resultado final foram 2 séries sobre programação para o blog.

A primeira série, e que inicia nesse post, será dedicada a programação em Pascal (Turbo Pascal 3 para CP/M e MSX DOS) e a segunda (talvez para o ano que vem) dedicada a programação C, claro que o conteúdo desses cursos será voltado a plataformas embarcadas e a plataforma embarcada que escolhi é a MSX. 🙂

Como não poderia ser diferente vamos começar contando um pouquinho da ….

…História do Pascal – Primeiros dias.

A linguagem Pascal foi criada no ano de 1968 pelo cientista Niklaus Wirth e seu nome foi dado em homenagem ao francês, filósofo, matemático, escritor, inventor, etc e etc, Blaise Pascal.

Os principais motivadores para a criação de Pascal foram:

  1. Ter uma linguagem enxuta e eficiente;
  2. Incentivar boas práticas de programação com base em estruturas de dados e programação estruturada;
  3. Altamente didática, pois seu uso inicial visava o ensino de programação estruturada para estudantes;

.

Assim como diversas outras linguagens modernas, como C e ADA, Pascal foi fortemente baseada na linguagem ALGOL, por isso não é incomum encontrar literaturas que descrevem algoritmos completos escritos escritos em uma dessas linguagens, sendo C e Pascal as preferidas por muitos autores de livros de algoritmos e técnicas avançadas de programação, ou seja, Pascal é uma linguagem dirigida a verdadeiros programadores, ao contrário de linguagens como o BASIC em sua forma tradicional (ex: MSX-BASIC, Apple BASIC,…) que foram feitas para que não programadores pudessem criar programas de maneira rápida, porém estimulando hábitos de programação deficientes e código ilegível.

Por esses motivos, o BASIC evoluiu em direção ao Pascal nos ultimos anos, chegando a ter estruturas similares.

Segue abaixo alguns projetos escritos em Pascal:

  • p-System é um sistema operacional criado em Pascal, lá pelo final da década de 70 e me lembro de ter ouvido sobre esse sistema operacional quando o MS-DOS ainda tentava se estabelecer no mercado como mainstream.  A principal característica desse sistema era rodar código pseudo-compilado, atualmente conhecido como bytecodes, em tecnologias como Java e .Net.
  • Perix Operating System é um sistema operacional escrito em Turbo Pascal e Assembly. Seu autor mantém uma comunidade no Orkut e já conta com outros desenvolvedores experientes atuando no projeto. O autor do projeto é brazuca.
  • Skype – Reconhecido software de comunicação instantânea com capacidade de fazer chamadas telefônicas via internet, tem seu front-end para plataforma Windows, escrito em Delphi/Object Pascal.
  • Apple Lisa – Esse computador foi o precursor do Macintosh com o seu sistema operacional MacOS. O sistema operacional do Lisa foi escrito em Pascal.
  • MacOS – É o sistema operacional dos primeiros computadores Macintosh e assim como o Lisa, foi escrito também em Pascal, com partes em Assembly.

.

Turbo Pascal – O Pascal da época dos primeiros PC’s.

Programar em uma linguagem compilada era um pequeno parto na época dos primeiros PC‘s, sendo essa a realidade ainda hoje para plataformas embarcadas, uma vez que esse processo geralmente envolve vários passos até chegar ao binário compreensível pela máquina.

Esses processos são conhecidos como edição, compilação e linkagem e quando feitos em máquinas e compiladores modernos, o programador, hoje, nem precisa saber, e termina não sabendo, que os mesmos estão acontecendo, porém lá pelos anos 1970/80 era natural que todo desenvolvedor de software soubesse do que se tratava cada um desses passos, até mesmo porque ele interagia diretamente em cada um desses processos.

Sem contar que fazer esses passos nos computadores da época, era algo extremamente demorado pois os mesmos tinham recursos limitadíssimos, tanto de processamento quanto de armazenamento, o que tornava o processo lento em cada um dos passos, sendo que programas de apenas 8 KBytes poderiam levar em média de 3 a 5 minutos para a geração de executáveis.

Foi nesse cenário, com ferramentas de desenvolvimento tão arcaicas quanto escrever documentos em pedra, que nasceu uma das maiores obras de engenharia de software da época, e quem sabe de todos os tempos, e que praticamente obrigou os “grandes” players na época a elevar o nível de suas ferramentas, investindo pesado em seu desenvolvimento até chegar às ferramentas modernas existentes na atualidade………estou falando do Turbo Pascal da Borland Software Corporation.

Turbo Pascal 3.0 (Capa)

Parece exagero falar que o Turbo Pascal é uma das maiores obras de engenharia de software, mas se considerarmos que o Turbo Pascal se tratava da primeira ferramenta com Editor/Compilador integrado, capaz de compilar milhares de linhas de código em apenas poucos segundos e que todas as ferramentas da época demoravam vários minutos para fazer o mesmo, considerando máquinas com 64Kb ou menos de memória, com certeza se trata de uma grande obra de engenharia de software.

Tela de abertura do Turbo Pascal 1.0. Foi assim até a versão 3.0

A imagem acima foi retirada do site http://eugostododelphi.blogspot.com/

Na época a Microsoft Corporation, tentou revidar com o seu famigerado Microsoft Pascal,  seguido do seu não menos famigerado Microsoft Quick Pascal, porém suas ferramentas de desenvolvimento sempre estiveram atrás das construídas pela Borland, isso até o final da década de 90, quando a mesma passou a contratar engenheiros chave da equipe de desenvolvimento de compiladores da Borland, equiparando assim o cenário.

PERGUNTA 1 (utilizem a área de comentários do post para responder)

Qual o nome do arquiteto que deixou a Borland para na Microsoft criar uma das linguagens mais conhecidas da empresa na atualidade ?

Tamanha era a superioridade do Turbo Pascal frente a outros compiladores de outras linguagens que, rapidamente, as publicações da época davam foco a artigos que tratavam de Pascal, ou seja, juntamente com Assembly, Pascal se tornava mainstream no cenário de programação e na mídia, tudo isso graças a grande aceitação e popularidade do Turbo Pascal da Borland.

Depois disso a Borland cresceu e expandiu sua linha de produtos, implantando a tecnologia Turbo para um outros produtos, também consagrados, como o Turbo C/C++ e Turbo Assembler (TASM), bem como em outras menos consagradas como o Turbo Prolog.

O próprio Turbo Pascal evoluia de maneira gradativa, tanto que na versão 5.5, o mesmo passava a incorporar características de orientação a objetos (OOP), amplamente difundidas em linguagens mais modernas como Java e que no universo Pascal ficou conhecida como Object Pascal.

Tela de abertura do Turbo Pascal 5.5

PERGUNTA 2 (utilizem a área de comentários do post para responder)

Que grande empresa, reconhecida pelos seus gadgets e PC‘s, desenvolveu a extensão de Pascal, denominada Object Pascal ?

Com produtos de alta qualidade e performance, a Borland dominou o mercado para desenvolvedores de software na era MS-DOS, sendo que outras produtoras como a Microsoft, Symantec, Sybase, sequer chegavam perto em qualidade, com sua linha de produtos similares.

Com a popularização dos sistemas operacionais gráficos, principalmente graças ao  Windows 3.11, o conceito de usabilidade de software mudou radicalmente, entretanto as ferramentas de desenvolvimento de software permaneceram por um tempo com as mesmas características da época do MS-DOS,  como o Visual C++ e o Turbo C++ for Windows e Turbo Pascal For Windows.

Mas com toda a riqueza e principalmente complexidade que esses ambientes operacionais gráficos traziam ao mundo dos PC’s, na época, era inevitável que uma mudança radical na área de ferramentas para desenvolvimento de software estava para acontecer, principalmente para que os desenvolvedores aproveitassem ao máximo toda a potencialidade que esse novo mundo gráfico proporcionava e principalmente para auxiliar no desenvolvimento de produtos com mais qualidade e principalmente reduzindo o tempo de desenvolvimento de sistemas.

Foi nesse cenário que a Borland proporcionou ao mundo outra grande inovação, tão impactante quanto a apresentação da primeira versão do Turbo Pascal, trata-se do lançamento da ferramenta RAD (Rapid Application Development) denominada Delphi, que tinha como base toda infra estrutura da linguagem Pascal/Object Pascal, já conhecida e amplamente utilizada por diversos desenvolvedores ao redor do mundo.

Borland Delphi Logo

O tempo passou, as tecnologias evoluiram, hoje a linguagem Turbo Pascal, através do Delphi, já não pertence mais à Borland Software Corporation e sim da empresa de desenvolvimento de ferramentas de banco de dados Embarcadero Technologies, porém a estrutura da linguagem permanece, até os dias atuais, quase que da mesma forma que nas primeiras versões do Pascal Clássico bem como o Turbo Pascal 1.0, confirmando a visão de longo prazo de seu criador, Niklaus Wirth, ao desenvolver uma linguagem didática, estruturada, moderna, poderosa e principalmente extensível, muito a frente de seu tempo.

Bom, chegamos ao fim desse primeiro post, trazendo um pouco da história e importancia do Turbo Pascal no mundo da tecnologia de software, desde os primórdios até os dias atuais.

Até o próximo artigo.

[]’s
PopolonY2k

Referência Bibliográfica

Turbo Pascal 6 Competo e Total – Stephen O’Brien – McGrawHill

Referência  na internet

Pascal language (Wikipedia)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pascal_%28linguagem_de_programa%C3%A7%C3%A3o%29

Object Pascal (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Object_Pascal

Turbo Pascal Compiler (Wikipedia)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Turbo_Pascal

Turbo Assembler – TASM (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Turbo_Assembler

Turbo Prolog (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Visual_Prolog

Turbo C/C++ (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Turbo_C%2B%2B

Delphi (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Borland_Delphi

Microsoft Pascal (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Microsoft_Pascal

Java Programming language (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Java_%28programming_language%29

.Net (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/.NET_Framework

Borland Software Corporation
http://en.wikipedia.org/wiki/Borland

Microsoft Corporation (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Microsoft_Corporation

Embarcadero Technologies
http://www.embarcadero.com

Blaise Pascal (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Blaise_Pascal

Niklaus Wirth (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Niklaus_Wirth

BASIC (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/BASIC

Apple BASIC (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Apple_BASIC

MSX-BASIC
http://en.wikipedia.org/wiki/MSX_BASIC

Assembly language (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Assembly_language

CP/M Operating System (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/CP/M

MSX-DOS Operating System
http://en.wikipedia.org/wiki/MSX-DOS

MS-DOS (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/MS-DOS

MS-Windows (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Windows

Embedded systems
http://en.wikipedia.org/wiki/Embedded_system

Ada Programming language (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Ada_%28programming_language%29

C Programming language (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/C_%28programming_language%29

ALGOL Programming language (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/ALGOL

Compiladores (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Compiler

Linkagem (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Linkage_%28software%29

Object-oriented Programming – OOP (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Object-oriented_programming

Rapid Application Development – RAD (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Rapid_application_development

Perix (Sourceforge.net)
http://sourceforge.net/projects/perix/

Skype
http://www.skype.com/intl/pt/home/

Apple Lisa (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Apple_Lisa

Apple Macintosh (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Apple_Macintosh

MacOS (Wikipedia)
http://en.wikipedia.org/wiki/Mac_OS